Estudo CINTESIS: Médicos e doentes devem prevenir males maiores

//Estudo CINTESIS: Médicos e doentes devem prevenir males maiores

Estudo CINTESIS: Médicos e doentes devem prevenir males maiores

Médicos e doentes não devem sobrestimar os benefícios nem subestimar os malefícios de intervenções curativas, sob pena de aumentarem o risco de diagnósticos e tratamentos excessivos, injustificáveis e até mesmo eticamente questionáveis. O alerta é dado por Carlos Martins, do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, num artigo científico intitulado “Quaternary prevention: reviewing the concept”, recentemente publicado no European Journal of General Practice.

Neste artigo, o investigador e médico de família afirma que a prevenção quaternária é hoje mais necessária do que nunca e que deve estar presente nas mentes dos médicos sempre que propõem uma intervenção aos seus doentes, de modo a contrariar a sobremedicalização, o sobrediagnóstico e sobre sobretratamento.

“Na medicina contemporânea, o ser humano pode sofrer danos das intervenções médicas desde a conceção, na infância, ao longo de toda a sua vida saudável e durante uma doença aguda, crónica ou terminal. A Prevenção Quaternária visa tornar esta realidade reconhecível por médicos e doentes, insistindo na prevenção de todo o mal associado às intervenções médicas”, afirma o investigador do CINTESIS.

Segundo o especialista em Medicina Geral e Familiar, em causa está a “crescente popularidade dos exames periódicos de saúde, vulgarmente conhecidos como check-up”, a que não são alheias algumas “campanhas públicas, frequentemente guiadas por motivações económicas, que geram insegurança e levam a procurar cuidados médicos desnecessários”.

Além disso, continua, a atribuição do “rótulo de doentes” a pessoas perfeitamente saudáveis contribui para a polimedicação (uso de vários fármacos em simultâneo) e o sobretratamento, o que aumenta a probabilidade de se registarem efeitos adversos ou interações medicamentosas potencialmente graves.

O autor propõe, por isso, uma nova definição de Prevenção Quaternária, mais abrangente do que a usada atualmente a nível mundial, considerando-a como qualquer ação destinada a proteger doentes, mas também indivíduos saudáveis, de qualquer intervenção médica que possa ser mais prejudicial do que benéfica.

Este membro da European Network on Prevention and Health Promotion (EUROPREV), que integra a World Organization of Family Doctors (WONCA), entende que a aplicação deste novo conceito na prática clínica, de forma rotineira, permitirá “a prestação de melhores cuidados de saúde”, evitando ainda a administração de terapias que não estão adequadamente estudadas ou cuja eficácia e segurança não estão ainda suficientemente comprovadas.

Por | 2018-04-10T18:01:34+00:00 Abril 10th, 2018|Categorias: Investigação|Tags: , , , , , |Comentários fechados em Estudo CINTESIS: Médicos e doentes devem prevenir males maiores

Sobre o Autor:

Termos e Políticas de utilização

O website www.cintesis.eu é um website pertencente ao CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, tendo como objetivo a prossecução das atividades realizadas no âmbito desta Unidade de I&D da Universidade do Porto e sua divulgação para o público em geral. Por favor, leia atentamente os termos e condições de utilização antes de utilizar este website.
  • Os utilizadores declaram conhecer, compreender, aceitar e cumprir integralmente os termos e condições de utilização deste website.
  • Os utilizadores obrigam-se a respeitar os direitos de autor, direitos conexos e de propriedade intelectual do CINTESIS, dos seus promotores e colaboradores.
  • Os utilizadores obrigam-se à proibição de copiar, divulgar, transmitir, reproduzir ou difundir materiais publicados neste website, respeitando os direitos legais sobre os mesmos, exceto em caso de uso livre autorizado por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que a sua origem seja claramente identificada.
  • Os utilizadores comprometem-se a não veicular através deste website qualquer tipo de conteúdo ofensivo, difamatório, discriminatório, racista, obsceno ou violento.
  • O CINTESIS encontra-se ligado a websites externos sobre os quais não tem qualquer controlo e pelos quais não assume qualquer responsabilidade.
  • O CINTESIS não se responsabiliza por quaisquer anomalias ou danos que possam derivar da utilização do website, designadamente por vírus causados pelo acesso a hiperligações disponibilizadas.
  • Os utilizadores declaram-se totalmente responsáveis por quaisquer danos que venham a provocar, quer ao CINTESIS, quer a terceiros, pelo não cumprimento dos termos e condições aqui descritos, bem como pelo não cumprimento das normas legais.
  • O CINTESIS pode suspender ou alterar os presentes termos e condições, sem aviso, a todo e qualquer momento.
  • As questões constantes dos termos e condições são reguladas pela legislação portuguesa em vigor.