Enfermagem quer combater “crise de privação de sono” dos portugueses

//Enfermagem quer combater “crise de privação de sono” dos portugueses

Enfermagem quer combater “crise de privação de sono” dos portugueses

Uma investigação do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde alerta para a urgência na criação de ferramentas que permitam aplicar cuidados de enfermagem mais eficazes e eficientes na área do sono. As conclusões são apresentadas no Ciência 2018 – Encontro com a Ciência e a Tecnologia em Portugal, que se realiza entre os dias 2 e 4 de julho, em Lisboa.

O póster, intitulado “Modelo Clínico de Dados de Enfermagem: Sono”, será exibido durante os três dias do Encontro. O objetivo é a criação de um modelo clínico de dados na área do sono que garanta a qualidade das práticas ao nível do processo de diagnósticos e de intervenção de Enfermagem.

Os autores, entre os quais Carlos Sequeira, investigador principal do NursID, do CINTESIS, na Escola Superior de Enfermagem do Porto (ESEP), analisaram os diagnósticos de enfermagem referentes ao sono e verificaram que a insónia é um dos mais frequentes (cerca de 15%), sendo igualmente referidos muitos casos de “padrão de sono perturbado” e de privação de sono (cerca de 9%).

Quanto às intervenções de enfermagem tendentes a minimizar a “verdadeira crise de privação do sono que afeta a saúde dos portugueses”, incluem, sobretudo, intervenções no sentido de “reduzir ruído noturno” (6,98%), “orientações sobre higiene do sono (5,81%), “reduzir luz noturna”, “utilizar exercícios de relaxamento” (4,65%), entre outros.

Uma outra conclusão está relacionada com a necessidade de sensibilizar as instituições de saúde para o contributo do sono na recuperação do estado de saúde das pessoas.

Dados de estudos anteriores indicam que quase dois terços dos portugueses dormem mal e acusam níveis elevados de sonolência diurna. Portugal é mesmo o país da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) com maior consumo reportado de ansiolíticos, hipnóticos e sedativos.

O trabalho é assinado também por Ana Certo, enfermeira especialista em Enfermagem Comunitária, e por Agustin Muñoz, da Universidad Catolica San Antonio.

 

 

Por | 2018-06-28T16:12:06+00:00 Junho 28th, 2018|Categorias: Investigação|Tags: , , |Comentários fechados em Enfermagem quer combater “crise de privação de sono” dos portugueses

Sobre o Autor:

Termos e Políticas de utilização

O website www.cintesis.eu é um website pertencente ao CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, tendo como objetivo a prossecução das atividades realizadas no âmbito desta Unidade de I&D da Universidade do Porto e sua divulgação para o público em geral. Por favor, leia atentamente os termos e condições de utilização antes de utilizar este website.
  • Os utilizadores declaram conhecer, compreender, aceitar e cumprir integralmente os termos e condições de utilização deste website.
  • Os utilizadores obrigam-se a respeitar os direitos de autor, direitos conexos e de propriedade intelectual do CINTESIS, dos seus promotores e colaboradores.
  • Os utilizadores obrigam-se à proibição de copiar, divulgar, transmitir, reproduzir ou difundir materiais publicados neste website, respeitando os direitos legais sobre os mesmos, exceto em caso de uso livre autorizado por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que a sua origem seja claramente identificada.
  • Os utilizadores comprometem-se a não veicular através deste website qualquer tipo de conteúdo ofensivo, difamatório, discriminatório, racista, obsceno ou violento.
  • O CINTESIS encontra-se ligado a websites externos sobre os quais não tem qualquer controlo e pelos quais não assume qualquer responsabilidade.
  • O CINTESIS não se responsabiliza por quaisquer anomalias ou danos que possam derivar da utilização do website, designadamente por vírus causados pelo acesso a hiperligações disponibilizadas.
  • Os utilizadores declaram-se totalmente responsáveis por quaisquer danos que venham a provocar, quer ao CINTESIS, quer a terceiros, pelo não cumprimento dos termos e condições aqui descritos, bem como pelo não cumprimento das normas legais.
  • O CINTESIS pode suspender ou alterar os presentes termos e condições, sem aviso, a todo e qualquer momento.
  • As questões constantes dos termos e condições são reguladas pela legislação portuguesa em vigor.