Equipa do CINTESIS indica urgência em replanear cuidados em lares e residências para idosos

//Equipa do CINTESIS indica urgência em replanear cuidados em lares e residências para idosos

Equipa do CINTESIS indica urgência em replanear cuidados em lares e residências para idosos

A crise pandémica é uma oportunidade única para redefinir prioridades e replanear os cuidados prestados às pessoas que residem em lares e noutras estruturas residenciais destinadas a idosos (ERPI), em Portugal, reforçando o investimento em recursos humanos e garantindo o respeito pelos direitos de profissionais e utentes.

Esta é uma das conclusões de um estudo que envolveu investigadores do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde em diferentes Universidades do país (Universidade do Porto, Universidade da Beira Interior e Universidade de Aveiro).

O estudo, agora divulgado, teve como principal objetivo analisar a perspetiva dos profissionais das ERPI sobre o impacto da pandemia nos cuidados e as suas experiências de trabalho durante e após o primeiro confinamento.

Ao todo, participaram 784 profissionais. Destes, cerca de 80% trabalham em Instituições Particulares de Solidariedade Social. Na sua maioria, são diretores técnicos, mas há também enfermeiros e auxiliares e idades compreendidas entre os 19 e os 71 anos.

Os resultados do inquérito efetuado provam que a pandemia de COVID-19 teve “consequências negativas em quem vive e trabalha nas ERPI, expondo vulnerabilidades pré-existentes em termos de recursos humanos, físicos e psicossociais”.

Quanto ao impacto nos cuidados prestados, mais de metade dos participantes admitem uma “maior dificuldade em responder às necessidades básicas dos idosos, como higiene e alimentação, e em proporcionar-lhes atividades de ocupação, no respeito pelos seus direitos e pela sua autodeterminação”.

“A pandemia legitimou um modelo de cuidados tradicional assistencialista, assente em procedimentos padronizados, que interpreta as pessoas idosas como um grupo homogéneo recetor de cuidados passivo e que promove o paternalismo”, indicam, a propósito, os investigadores.

Os profissionais destas estruturas residenciais queixam-se ainda do “impacto nas suas condições de trabalho”, desde logo com mais horas prestadas por turno. Cerca de 15% destes profissionais chegaram mesmo a residir, temporariamente, nas instituições onde trabalham, de modo a proteger os utentes.

Esta sobrecarga de trabalho, devida em parte à falta de trabalhadores em fases críticas, constitui “um risco não só para a saúde, segurança e bem-estar dos próprios profissionais, mas também para a prestação de cuidados”.

Para a equipa do CINTESIS, os lares e estruturas residenciais para idosos devem reivindicar um maior investimento, político e financeiro, em recursos humanos, equipamentos, acompanhamento e intervenções que “salvaguardem a dignidade, os direitos e o bem-estar físico e mental de quem vive e trabalha nas ERPI portuguesas”.

Os investigadores entendem que a crise pandémica deve ser encarada como “uma oportunidade” para uma mudança de paradigma, com a implementação de Cuidados Centrados na Pessoa.

Neste modelo, os idosos são colocados no centro da dinâmica de cuidados, tendo “um papel decisor ativo sobre a sua vida e o seu quotidiano”. Assim, deverão existir um “equilíbrio” entre a gestão da infeção e o respeito pelos direitos, necessidades e bem-estar das pessoas idosas, preservando-se a sua “participação social e a sua saúde física e mental”.

Do mesmo modo, dizem os investigadores, “é urgente iniciar, retomar ou intensificar programas de reabilitação e ocupações com os idosos para que estes possam recuperar das sequelas do confinamento”.

A equipa do projeto “Atenção Centrada na pessoa na prestação de cuidados na velhice: abordagens e instrumentos de avaliação” é composta por Maria Miguel Barbosa e Rosa Marina Afonso, investigadoras do CINTESIS/Universidade da Beira Interior (UBI), além de Constança Paúl e Laetitia Teixeira (CINTESIS/ICBAS), Liliana Sousa (CINTESIS/Universidade de Aveiro) e Javier Yanguas (Fundación “La Caixa”).

Este projeto recebeu financiamento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), através de uma bolsa de doutoramento atribuída a Maria Miguel Barbosa (CINTESIS/UBI).

Por | 2021-04-05T13:21:01+00:00 Abril 5th, 2021|Categorias: Investigação|Tags: , , , , , , |Comentários fechados em Equipa do CINTESIS indica urgência em replanear cuidados em lares e residências para idosos

Sobre o Autor:

Termos e Políticas de utilização

O website www.cintesis.eu é um website pertencente ao CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, tendo como objetivo a prossecução das atividades realizadas no âmbito desta Unidade de I&D da Universidade do Porto e sua divulgação para o público em geral. Por favor, leia atentamente os termos e condições de utilização antes de utilizar este website.
  • Os utilizadores declaram conhecer, compreender, aceitar e cumprir integralmente os termos e condições de utilização deste website.
  • Os utilizadores obrigam-se a respeitar os direitos de autor, direitos conexos e de propriedade intelectual do CINTESIS, dos seus promotores e colaboradores.
  • Os utilizadores obrigam-se à proibição de copiar, divulgar, transmitir, reproduzir ou difundir materiais publicados neste website, respeitando os direitos legais sobre os mesmos, exceto em caso de uso livre autorizado por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que a sua origem seja claramente identificada.
  • Os utilizadores comprometem-se a não veicular através deste website qualquer tipo de conteúdo ofensivo, difamatório, discriminatório, racista, obsceno ou violento.
  • O CINTESIS encontra-se ligado a websites externos sobre os quais não tem qualquer controlo e pelos quais não assume qualquer responsabilidade.
  • O CINTESIS não se responsabiliza por quaisquer anomalias ou danos que possam derivar da utilização do website, designadamente por vírus causados pelo acesso a hiperligações disponibilizadas.
  • Os utilizadores declaram-se totalmente responsáveis por quaisquer danos que venham a provocar, quer ao CINTESIS, quer a terceiros, pelo não cumprimento dos termos e condições aqui descritos, bem como pelo não cumprimento das normas legais.
  • O CINTESIS pode suspender ou alterar os presentes termos e condições, sem aviso, a todo e qualquer momento.
  • As questões constantes dos termos e condições são reguladas pela legislação portuguesa em vigor.