Estudo da FMUP e do CINTESIS mostra necessidade de auditorias externas aos registos hospitalares

//Estudo da FMUP e do CINTESIS mostra necessidade de auditorias externas aos registos hospitalares

Estudo da FMUP e do CINTESIS mostra necessidade de auditorias externas aos registos hospitalares

Documentação incompleta, indisponibilidade de materiais e recursos para auxiliar o processo de codificação, e falta de clareza nos registos. Foram estes alguns dos problemas encontrados por uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, que alerta para a falta de qualidade dos dados nos registos de saúde.

“A falta de qualidade dos dados clínicos pode comprometer a comunicação entre os profissionais de saúde, bem como o acesso correto ao diagnóstico do paciente”, esclarece Vera Pires, investigadora principal do estudo, lembrando que “a recolha e o armazenamento destes dados são essenciais para os tratamentos futuros aos pacientes”.

A codificação clínica é o processo de transformação das informações contidas nos registos de saúde sobre doenças em códigos numéricos ou alfanuméricos. Os registos de saúde representam uma fonte de dados sobre o estado de saúde do paciente, de doenças, de progressão da doença, entre outros. Têm a função de ajudar os profissionais de saúde na prestação dos cuidados, constituindo um suporte clínico e legal.

Segundo os investigadores, os clínicos estão pouco sensibilizados para a importância destes registos na atividade de codificação. O estudo em causa, publicado na revista científica Health Information Management Journal, levanta algumas questões quanto à documentação incompleta que pode prejudicar o processo de codificação.

“De facto, a existência de erros no processo de codificação, como a ausência de notas de alta e relatórios de operatório, não permitem o acesso correto ao diagnóstico do paciente”, explica Alberto Freitas, coordenador do estudo, docente da FMUP e investigador do CINTESIS.

Neste estudo, os investigadores apresentam também um conjunto de soluções para melhorar a qualidade dos registos de saúde. Passar a utilizar padrões mais concisos e promover auditorias externas, são apenas algumas das medidas apontadas para a melhoria da atividade de codificação e da prestação de cuidados. Por outro lado, a equipa de investigadores refere que deve haver uma maior consciencialização por parte dos profissionais de saúde para a importância destes registos.

Por | 2020-01-22T13:09:31+00:00 Janeiro 22nd, 2020|Categorias: Investigação|Tags: , , , , , |Comentários fechados em Estudo da FMUP e do CINTESIS mostra necessidade de auditorias externas aos registos hospitalares

Sobre o Autor:

Termos e Políticas de utilização

O website www.cintesis.eu é um website pertencente ao CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, tendo como objetivo a prossecução das atividades realizadas no âmbito desta Unidade de I&D da Universidade do Porto e sua divulgação para o público em geral. Por favor, leia atentamente os termos e condições de utilização antes de utilizar este website.
  • Os utilizadores declaram conhecer, compreender, aceitar e cumprir integralmente os termos e condições de utilização deste website.
  • Os utilizadores obrigam-se a respeitar os direitos de autor, direitos conexos e de propriedade intelectual do CINTESIS, dos seus promotores e colaboradores.
  • Os utilizadores obrigam-se à proibição de copiar, divulgar, transmitir, reproduzir ou difundir materiais publicados neste website, respeitando os direitos legais sobre os mesmos, exceto em caso de uso livre autorizado por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que a sua origem seja claramente identificada.
  • Os utilizadores comprometem-se a não veicular através deste website qualquer tipo de conteúdo ofensivo, difamatório, discriminatório, racista, obsceno ou violento.
  • O CINTESIS encontra-se ligado a websites externos sobre os quais não tem qualquer controlo e pelos quais não assume qualquer responsabilidade.
  • O CINTESIS não se responsabiliza por quaisquer anomalias ou danos que possam derivar da utilização do website, designadamente por vírus causados pelo acesso a hiperligações disponibilizadas.
  • Os utilizadores declaram-se totalmente responsáveis por quaisquer danos que venham a provocar, quer ao CINTESIS, quer a terceiros, pelo não cumprimento dos termos e condições aqui descritos, bem como pelo não cumprimento das normas legais.
  • O CINTESIS pode suspender ou alterar os presentes termos e condições, sem aviso, a todo e qualquer momento.
  • As questões constantes dos termos e condições são reguladas pela legislação portuguesa em vigor.