FEEDMI: Investigadores do CINTESIS estudam impacto do leite de dadora na flora intestinal de bebés “muito prematuros”

//FEEDMI: Investigadores do CINTESIS estudam impacto do leite de dadora na flora intestinal de bebés “muito prematuros”

FEEDMI: Investigadores do CINTESIS estudam impacto do leite de dadora na flora intestinal de bebés “muito prematuros”

De que modo o aleitamento materno influencia a microbiota intestinal dos bebés “muito prematuros”, isto é, nascidos entre as 28 e as 32 semanas de gravidez? Qual é o papel do tipo de parto nos micróbios que “habitam” o intestino destes bebés especialmente vulneráveis?

Estas são algumas das perguntas que uma equipa de investigadores do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e NOVA Medical School quer ver respondidas através da realização de um estudo pioneiro em Portugal, em colaboração com a equipa de neonatologia dirigida por Teresa Tomé, neonatologista da Maternidade Dr. Alfredo da Costa/Centro Hospitalar de Lisboa Central. Trata-se de um estudo pioneiro, desenvolvido em colaboração com o único Banco de Leite Humano existente em Portugal.

Com este estudo observacional, pretende-se avaliar os fatores que interferem com a microbiota intestinal (bactérias e outros microrganismos que habitam o intestino) de bebés “muito prematuros” hospitalizados numa unidade de cuidados intensivos neonatal nacional. Em análise estão os hábitos alimentares da mãe, o tipo de parto (vaginal ou cesariana) e o tipo de alimentação disponibilizada aos bebés nesta fase da vida (leite materno, leite materno de dadora fortificado e não fortificado ou ainda leite de fórmula).

“O leite materno é rico em probióticos e em prebióticos devido ao conteúdo rico em oligossacarídeos, que ajudam a modular a microbiota intestinal. Por isso, a Organização Mundial de Saúde recomenda o aleitamento materno em exclusivo nos primeiros seis meses de vida”, explica Juliana Morais, investigadora do Cintesis e primeira autora do trabalho coordenado por Conceição Calhau e já publicado no Neonatology.

De acordo com a investigadora, nutricionista, “quando o leite materno não está disponível, o leite de dadora deve ser a primeira alternativa. Embora este leite passe por um processo de pasteurização, acredita-se que o resultado na microbiota dos bebés será semelhante à do leite materno. Já o leite de fórmula tem sido associado a uma menor diversidade de Bifidobactérias e a excesso de peso/obesidade aos 18 meses de idade”.

Os investigadores acreditam que o tipo de alimentação provocará diferenças significativas na composição da microbiota intestinal dos bebés nascidos entre as 28 e as 32 semanas de gestação, que são particularmente suscetíveis de sofrerem um desequilíbrio entre microrganismos benéficos e microrganismos prejudiciais (disbiose intestinal).

Ao contrário do que se pensava, esta alteração precoce do tipo, quantidade e diversidade de bactérias presentes no intestino não será temporária, antes afetará a “programação” do metabolismo e da imunidade muito para além da infância, influenciando o desenvolvimento de várias doenças na idade adulta.

Por | 2019-09-26T13:44:16+00:00 Setembro 25th, 2019|Categorias: Investigação|Tags: , , , |Comentários fechados em FEEDMI: Investigadores do CINTESIS estudam impacto do leite de dadora na flora intestinal de bebés “muito prematuros”

Sobre o Autor:

Termos e Políticas de utilização

O website www.cintesis.eu é um website pertencente ao CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, tendo como objetivo a prossecução das atividades realizadas no âmbito desta Unidade de I&D da Universidade do Porto e sua divulgação para o público em geral. Por favor, leia atentamente os termos e condições de utilização antes de utilizar este website.
  • Os utilizadores declaram conhecer, compreender, aceitar e cumprir integralmente os termos e condições de utilização deste website.
  • Os utilizadores obrigam-se a respeitar os direitos de autor, direitos conexos e de propriedade intelectual do CINTESIS, dos seus promotores e colaboradores.
  • Os utilizadores obrigam-se à proibição de copiar, divulgar, transmitir, reproduzir ou difundir materiais publicados neste website, respeitando os direitos legais sobre os mesmos, exceto em caso de uso livre autorizado por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que a sua origem seja claramente identificada.
  • Os utilizadores comprometem-se a não veicular através deste website qualquer tipo de conteúdo ofensivo, difamatório, discriminatório, racista, obsceno ou violento.
  • O CINTESIS encontra-se ligado a websites externos sobre os quais não tem qualquer controlo e pelos quais não assume qualquer responsabilidade.
  • O CINTESIS não se responsabiliza por quaisquer anomalias ou danos que possam derivar da utilização do website, designadamente por vírus causados pelo acesso a hiperligações disponibilizadas.
  • Os utilizadores declaram-se totalmente responsáveis por quaisquer danos que venham a provocar, quer ao CINTESIS, quer a terceiros, pelo não cumprimento dos termos e condições aqui descritos, bem como pelo não cumprimento das normas legais.
  • O CINTESIS pode suspender ou alterar os presentes termos e condições, sem aviso, a todo e qualquer momento.
  • As questões constantes dos termos e condições são reguladas pela legislação portuguesa em vigor.