Estudo CINTESIS/IPP faz luz sobre Hiperatividade e Défice de Atenção

/, PT/Estudo CINTESIS/IPP faz luz sobre Hiperatividade e Défice de Atenção

Estudo CINTESIS/IPP faz luz sobre Hiperatividade e Défice de Atenção

Um novo estudo assinado por cientistas da Universidade do Porto e do IPP vem fazer luz sobre a neuroanatomia da Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA).

De acordo com este estudo, as alterações comportamentais observadas nesta perturbação podem ser explicadas por um desequilíbrio no funcionamento entre as várias redes neuronais, o que justifica a extensão e variabilidade sintomatológica, apontando para a necessidade de uma abordagem multidisciplinar no diagnóstico e na intervenção terapêutica, com implicações na prática clínica.

Os investigadores, entre os quais Pedro Pereira Rodrigues, investigador do CINTESIS, Bruno Vieira de Melo e Maria João Trigueiro, da ESS-IPP, analisaram perto de 100 estudos realizados a nível internacional, com o objetivo de identificar as diferenças neuroanatómicas estruturais e funcionais registadas no cérebro de crianças e adultos com PHDA, através da utilização de diferentes técnicas de imagem.

Publicado no Developmental Neuropsychology com o título “Systematic overview of neuroanatomical differences in PHDA: Definitive evidence, Developmental Neuropsychology”, este estudo indica a existência de “um envolvimento encefálico globalizado ” na PHDA, o que pode suportar os modelos etiológicos que concetualizam uma “implicação sistémica do sistema nervoso”,  e que se traduzem nas múltiplas implicações observadas ao nível das competências cognitivas, de regulação emocional, motoras, sensório-percetivas e sociais.

Uma das principais conclusões do estudo refere que as implicações da PHDA vão, claramente, além da rede frontoparietal e do sistema dopaminérgico, existindo diferenças visíveis noutras regiões do cérebro, nomeadamente em termos de volume, área, ativação e composição química.

A nível estrutural, o estudo identifica uma redução no volume total do cérebro e, mais especificamente, no hemisfério direito, lobos frontal e parietal, núcleos da base, globo pálido, corpo caloso e cerebelo. A nível funcional, registam-se sinais de hipoativação do lobo frontal, níveis aumentados de N-acetilaspartato (NAA) um neurometabolito sintetizado pelos neurónios, no córtex prefrontal médio e outros sinais, consistentes com padrões de ativação em regiões do cérebro como o córtex cingulado, a ínsula, o núcleo basal e os lobos parietal, temporal e occipital.

Além das implicações na clínica, o artigo enfatiza a “necessidade urgente de ensaios homogéneos, com metodologia padronizada e replicável que permitam a aplicação das múltiplas técnicas de imagem nas mesmas condições”.

A PHDA é uma das perturbações do neurodesenvolvimento mais comuns. Apesar de ser muito estudada, ainda suscita inúmeras controvérsias. Calcula-se que afete entre 5 a 8% das crianças em idade escolar, atingindo mais o género masculino. Cerca de 60% das pessoas diagnosticadas na infância/adolescência mantêm sintomas na idade adulta.

 

 

Por | 2018-03-28T12:43:15+00:00 Janeiro 30th, 2018|Categorias: Investigação, PT|Tags: , , , , |Comentários fechados em Estudo CINTESIS/IPP faz luz sobre Hiperatividade e Défice de Atenção

Sobre o Autor:

Termos e Políticas de utilização

O website www.cintesis.eu é um website pertencente ao CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, tendo como objetivo a prossecução das atividades realizadas no âmbito desta Unidade de I&D da Universidade do Porto e sua divulgação para o público em geral. Por favor, leia atentamente os termos e condições de utilização antes de utilizar este website.
  • Os utilizadores declaram conhecer, compreender, aceitar e cumprir integralmente os termos e condições de utilização deste website.
  • Os utilizadores obrigam-se a respeitar os direitos de autor, direitos conexos e de propriedade intelectual do CINTESIS, dos seus promotores e colaboradores.
  • Os utilizadores obrigam-se à proibição de copiar, divulgar, transmitir, reproduzir ou difundir materiais publicados neste website, respeitando os direitos legais sobre os mesmos, exceto em caso de uso livre autorizado por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que a sua origem seja claramente identificada.
  • Os utilizadores comprometem-se a não veicular através deste website qualquer tipo de conteúdo ofensivo, difamatório, discriminatório, racista, obsceno ou violento.
  • O CINTESIS encontra-se ligado a websites externos sobre os quais não tem qualquer controlo e pelos quais não assume qualquer responsabilidade.
  • O CINTESIS não se responsabiliza por quaisquer anomalias ou danos que possam derivar da utilização do website, designadamente por vírus causados pelo acesso a hiperligações disponibilizadas.
  • Os utilizadores declaram-se totalmente responsáveis por quaisquer danos que venham a provocar, quer ao CINTESIS, quer a terceiros, pelo não cumprimento dos termos e condições aqui descritos, bem como pelo não cumprimento das normas legais.
  • O CINTESIS pode suspender ou alterar os presentes termos e condições, sem aviso, a todo e qualquer momento.
  • As questões constantes dos termos e condições são reguladas pela legislação portuguesa em vigor.