Investigador do CINTESIS vence Prémio BIAL de Medicina Clínica

/, Mérito/Investigador do CINTESIS vence Prémio BIAL de Medicina Clínica

Investigador do CINTESIS vence Prémio BIAL de Medicina Clínica

Mário Dinis-Ribeiro, investigador principal de uma das linhas de investigação do CINTESIS e professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, é o vencedor do Prémio BIAL de Medicina Clínica 2018, anunciou hoje a farmacêutica portuguesa. O prémio, no valor de 100 mil euros, distinguiu um estudo que aponta formas de reduzir a mortalidade por cancro gástrico em Portugal.

O trabalho premiado acompanhou, entre 2005 e 2017, cerca de 400 doentes com lesões gástricas malignas ou pré-malignas. A abordagem utilizada permitiu definir novas orientações na deteção e tratamento do cancro gástrico, um dos mais mortíferos em Portugal, sobretudo devido ao diagnóstico tardio e elevada letalidade consequente.  “Através da realização de endoscopias foi possível remover lesões de forma minimamente invasiva com uma taxa de sucesso livre de complicações de 80 a 85%. Dos doentes abrangidos, a taxa de mortalidade foi de apenas 1% e nunca por complicações ligadas ao cancro gástrico”, lê-se no comunicado.

Mário Dinis-Ribeiro, que é também diretor do Serviço de Gastrenterologia do IPO-Porto, salienta o papel da endoscopia na deteção precoce do cancro gástrico ou de lesões percursoras de cancro, e que substituem, em muitas situações, a cirurgia. “Os resultados obtidos permitem retirar dois tipos de conclusões e abordagens para prevenir e tratar o cancro gástrico. Por um lado, ao nível da prevenção, é muito importante alertar a população para fatores de risco como o tabaco e o consumo de sal. Por outro, e se queremos diminuir a prevalência do cancro gástrico, devemos evoluir para o tratamento precoce das lesões através da endoscopia alta e evitar que estas evoluam”.

Por isso, o especialista aconselha que seja feita uma endoscopia em simultâneo com a já colonoscopia – um exame que é recomendado a partir dos 50 anos para rastreio de cancro do cólon e do reto. “Quando o doente é rastreado ao cancro do cólon e do reto deverá também ser submetido a uma endoscopia, estando desta forma sinergicamente também a rastrear o cancro gástrico”, defende, instigando “os decisores em saúde para considerar o adenocarcinoma gástrico na agenda da saúde em Portugal”.

O presidente do júri do Prémio BIAL de Medicina Clínica 2018, Manuel Sobrinho Simões, defendeu que “este é um trabalho de grande impacto, num cancro que não tem sido considerado um problema na Europa, mas que tem uma taxa de mortalidade assustadora. Com estes resultados fica demostrado o custo-eficácia da endoscopia digestiva alta na deteção precoce e, consequentemente, no tratamento das lesões”.

Recorde-se que aproximadamente um em cada 60 indivíduos vem a sofrer de cancro gástrico em Portugal. É estimado que, até 2035, se observe um aumento em cerca de 30% no número de novos casos e mortes na Europa. Portugal apresenta a mesma tendência, com um aumento dos atuais 3.018 para 4.082 casos e de 2.285 para 3.172 mortes. Em menos de 20 anos, o cancro gástrico representará a causa de morte para 9 portugueses todos os dias.

Mário Dinis-Ribeiro é investigador principal da Linha Temática sobre Investigação Clínica e de Translação do CINTESIS, liderando ainda o grupo de investigação iGo – Health Technology Assessment in Gastrointestinal Oncology dessa Unidade de Investigação. Licenciado e doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, é especialista em Gastrenterologia, e dirige o Serviço dessa especialidade do IPO-Porto. No âmbito da sua atividade de docente, integra o Departamento de Medicina da Comunidade, Informação e Decisão em Saúde da FMUP, onde coordena o Mestrado em Evidência e Decisão em Saúde, bem como outras pós-graduações. Atualmente, é também presidente-eleito da European Society of Gastroinstestinal Endoscopy (ESGE) e presidente da Sociedade Portuguesa de Endoscopia Digestiva.

Por | 2019-02-18T12:31:28+00:00 Fevereiro 18th, 2019|Categorias: Investigação, Mérito|Tags: , , , , , , |Comentários fechados em Investigador do CINTESIS vence Prémio BIAL de Medicina Clínica

Sobre o Autor:

Media Relations Specialist

Termos e Políticas de utilização

O website www.cintesis.eu é um website pertencente ao CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, tendo como objetivo a prossecução das atividades realizadas no âmbito desta Unidade de I&D da Universidade do Porto e sua divulgação para o público em geral. Por favor, leia atentamente os termos e condições de utilização antes de utilizar este website.
  • Os utilizadores declaram conhecer, compreender, aceitar e cumprir integralmente os termos e condições de utilização deste website.
  • Os utilizadores obrigam-se a respeitar os direitos de autor, direitos conexos e de propriedade intelectual do CINTESIS, dos seus promotores e colaboradores.
  • Os utilizadores obrigam-se à proibição de copiar, divulgar, transmitir, reproduzir ou difundir materiais publicados neste website, respeitando os direitos legais sobre os mesmos, exceto em caso de uso livre autorizado por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que a sua origem seja claramente identificada.
  • Os utilizadores comprometem-se a não veicular através deste website qualquer tipo de conteúdo ofensivo, difamatório, discriminatório, racista, obsceno ou violento.
  • O CINTESIS encontra-se ligado a websites externos sobre os quais não tem qualquer controlo e pelos quais não assume qualquer responsabilidade.
  • O CINTESIS não se responsabiliza por quaisquer anomalias ou danos que possam derivar da utilização do website, designadamente por vírus causados pelo acesso a hiperligações disponibilizadas.
  • Os utilizadores declaram-se totalmente responsáveis por quaisquer danos que venham a provocar, quer ao CINTESIS, quer a terceiros, pelo não cumprimento dos termos e condições aqui descritos, bem como pelo não cumprimento das normas legais.
  • O CINTESIS pode suspender ou alterar os presentes termos e condições, sem aviso, a todo e qualquer momento.
  • As questões constantes dos termos e condições são reguladas pela legislação portuguesa em vigor.