Investigadores do CINTESIS vão monitorizar níveis de iodo nas grávidas

//Investigadores do CINTESIS vão monitorizar níveis de iodo nas grávidas

Investigadores do CINTESIS vão monitorizar níveis de iodo nas grávidas

 

Um grupo de investigação liderado pelo CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde vai iniciar esta semana o recrutamento de mulheres grávidas para o projeto de investigação IoMum-Norte, no Centro Hospitalar de São João. O objetivo é avaliar os níveis de iodo nas mulheres grávidas residentes em Portugal e conhecer a prática dos profissionais relativamente ao iodo dentro do Sistema Nacional de Saúde.

Liderado pela investigadora Elisa Keating, o projeto IoMum-Norte vai convidar as mulheres grávidas a cooperarem através da realização de análises à urina no início e no fim da gravidez. Será ainda solicitada uma colheita de sangue através de picada no dedo no final da gestação “A participação é voluntária e não há qualquer risco para a saúde da mulher ou do bebé associado ao estudo”, salienta a cientista.

“O objetivo final do projeto é contribuir para informar as entidades de saúde nacionais sobre o estado do iodo nas gestantes e assim monitorizar a eficácia de políticas de saúde pública e ajustá-las à realidade portuguesa”, explica Elisa Keating.

O iodo é um nutriente essencial para o ser humano, em especial durante a gestação e a infância, devido ao papel que desempenha na produção das hormonas da tiroide. “Durante a gravidez, é fundamental uma ingestão adequada de iodo para garantir um correto desenvolvimento e maturação do bebé”, explica a líder da investigação.

Como o organismo não produz iodo, ele tem de ser obtido através de fontes externas, nomeadamente da alimentação. Entre as principais fontes alimentares de iodo estão, por exemplo, o marisco, a sardinha, o salmão, o leite e o iogurte.

Em agosto de 2013, a Direcção-Geral da Saúde (DGS) publicou uma orientação técnica na qual recomenda a suplementação de iodo às mulheres em preconceção, grávidas e em amamentação exclusiva.

De acordo com a orientação, aconselha-se uma prescrição médica de iodeto de potássio, na dosagem de 150-200 µg/dia, e sublinha-se a importância para a educação alimentar, de forma a incluir na dieta da grávida fontes de iodo, dada a importância deste nutriente no processo de desenvolvimento e maturação do sistema nervoso central do feto.

Antes do IoMum, o CINTESIS esteve à frente de outro projeto sobre o iodo, o IoGeneration, cuja missão foi avaliar o estado do iodo em crianças em idade escolar, bem como consciencializar a população para a importância deste nutriente e contribuir para a promoção de medidas de saúde pública que reduzam as desigualdades nutricionais.

A equipa de investigadores do IoMum integra profissionais de diferentes áreas, nomeadamente bioquímicos, nutricionistas, médicos e químicos. A equipa do CINTESIS que participa no projeto IoMum agrupa investigadores da NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa e da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP).

Por | 2018-05-08T12:24:33+00:00 Maio 7th, 2018|Categorias: Investigação|Tags: , , , , , , |Comentários fechados em Investigadores do CINTESIS vão monitorizar níveis de iodo nas grávidas

Sobre o Autor:

Media Relations Specialist

Termos e Políticas de utilização

O website www.cintesis.eu é um website pertencente ao CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, tendo como objetivo a prossecução das atividades realizadas no âmbito desta Unidade de I&D da Universidade do Porto e sua divulgação para o público em geral. Por favor, leia atentamente os termos e condições de utilização antes de utilizar este website.
  • Os utilizadores declaram conhecer, compreender, aceitar e cumprir integralmente os termos e condições de utilização deste website.
  • Os utilizadores obrigam-se a respeitar os direitos de autor, direitos conexos e de propriedade intelectual do CINTESIS, dos seus promotores e colaboradores.
  • Os utilizadores obrigam-se à proibição de copiar, divulgar, transmitir, reproduzir ou difundir materiais publicados neste website, respeitando os direitos legais sobre os mesmos, exceto em caso de uso livre autorizado por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que a sua origem seja claramente identificada.
  • Os utilizadores comprometem-se a não veicular através deste website qualquer tipo de conteúdo ofensivo, difamatório, discriminatório, racista, obsceno ou violento.
  • O CINTESIS encontra-se ligado a websites externos sobre os quais não tem qualquer controlo e pelos quais não assume qualquer responsabilidade.
  • O CINTESIS não se responsabiliza por quaisquer anomalias ou danos que possam derivar da utilização do website, designadamente por vírus causados pelo acesso a hiperligações disponibilizadas.
  • Os utilizadores declaram-se totalmente responsáveis por quaisquer danos que venham a provocar, quer ao CINTESIS, quer a terceiros, pelo não cumprimento dos termos e condições aqui descritos, bem como pelo não cumprimento das normas legais.
  • O CINTESIS pode suspender ou alterar os presentes termos e condições, sem aviso, a todo e qualquer momento.
  • As questões constantes dos termos e condições são reguladas pela legislação portuguesa em vigor.