Saúde mental: Estudo do CINTESIS recomenda identificação de enfermeiros em risco

//Saúde mental: Estudo do CINTESIS recomenda identificação de enfermeiros em risco

Saúde mental: Estudo do CINTESIS recomenda identificação de enfermeiros em risco

“Cuidar da saúde mental dos enfermeiros durante a pandemia de COVID-19 é uma questão de saúde pública”, afirma um grupo de investigadores do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, com base nos resultados de um estudo publicado na “Environmental Research”.

A equipa concluiu que a pandemia teve impacto da saúde mental nos enfermeiros portugueses, traduzindo-se em sintomas de depressão, ansiedade e stress.

Através da realização de um questionário online com a participação de 829 enfermeiros, na maioria mulheres, percebeu-se que esses sintomas estiveram consistentemente associados ao medo de infetar e de ser infetado pelo SARS-CoV-2. Este foi mesmo o principal fator de risco identificado.

O estudo revela que, ao longo da primeira vaga da pandemia, existiu “uma tendência positiva” no sentido de um decréscimo destes sintomas. Esta tendência parece refletir “um fenómeno de adaptação psicológica” dos enfermeiros semelhante ao que foi observado noutras epidemias.

“Os enfermeiros portugueses adaptaram-se ao ‘novo normal’ imposto pela pandemia de COVID-19”, diz Francisco Sampaio, investigador do CINTESIS e primeiro autor do estudo.

O especialista em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica avisa, contudo, que “a experienciação de elevados níveis de ansiedade, na fase inicial da pandemia, pode ser o gatilho para o espoletar de doença mental em pessoas que previamente se apresentassem já mais vulneráveis”.

Promover a saúde mental protege os enfermeiros

Noutro estudo assinado também por investigadores do CINTESIS, constatou-se que os níveis de sintomas depressivos, ansiedade e stress eram significativamente mais baixos entre os enfermeiros que usavam sempre ou mais regularmente um conjunto de estratégias de promoção da saúde mental.

Entre as estratégias estão a atividade física, atividades relaxantes, atividades recreativas (ler, ouvir música, ver televisão), hábitos alimentares saudáveis, ingestão adequada de água, pausas entre turnos de trabalho, manutenção de contactos sociais à distância e verbalização dos sentimentos e emoções.

Os investigadores entendem que estes dados devem ter implicações imediatas nas políticas de saúde, de modo a preparar os serviços de saúde para novas vagas de COVID-19.

“É essencial que os governos e os gestores de saúde identifiquem sistematicamente os grupos profissionais, incluindo os enfermeiros, com maior risco de depressão, ansiedade e/ou stress, de modo a providenciar uma intervenção precoce”, exorta.

A equipa considera que “é crucial providenciar suporte emocional adequado aos enfermeiros, o que deverá incluir a normalização das emoções, uma comunicação clara, a garantia de satisfação das necessidades básicas, a possibilidade de pausas suficientes em número, frequência e duração, entre turnos de trabalho e ao longo dos turnos, bem como a disponibilização de apoio psicológico”.

Além disso, deverão ser adotadas “estratégias de promoção da saúde mental, nomeadamente através da criação de espaços nas instituições de saúde para a prática de atividade física, relaxamento e atividades recreativas”. Igualmente fundamental é a contratação de profissionais de saúde mental.

Estes estudos contaram com a participação dos investigadores do CINTESIS Carlos Sequeira, Laetitia Teixeira, Tânia Correia e Lara Pinho.

Por | 2021-02-01T18:42:47+00:00 Fevereiro 2nd, 2021|Categorias: Investigação|Tags: , , , , |Comentários fechados em Saúde mental: Estudo do CINTESIS recomenda identificação de enfermeiros em risco

Sobre o Autor:

Termos e Políticas de utilização

O website www.cintesis.eu é um website pertencente ao CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, tendo como objetivo a prossecução das atividades realizadas no âmbito desta Unidade de I&D da Universidade do Porto e sua divulgação para o público em geral. Por favor, leia atentamente os termos e condições de utilização antes de utilizar este website.
  • Os utilizadores declaram conhecer, compreender, aceitar e cumprir integralmente os termos e condições de utilização deste website.
  • Os utilizadores obrigam-se a respeitar os direitos de autor, direitos conexos e de propriedade intelectual do CINTESIS, dos seus promotores e colaboradores.
  • Os utilizadores obrigam-se à proibição de copiar, divulgar, transmitir, reproduzir ou difundir materiais publicados neste website, respeitando os direitos legais sobre os mesmos, exceto em caso de uso livre autorizado por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que a sua origem seja claramente identificada.
  • Os utilizadores comprometem-se a não veicular através deste website qualquer tipo de conteúdo ofensivo, difamatório, discriminatório, racista, obsceno ou violento.
  • O CINTESIS encontra-se ligado a websites externos sobre os quais não tem qualquer controlo e pelos quais não assume qualquer responsabilidade.
  • O CINTESIS não se responsabiliza por quaisquer anomalias ou danos que possam derivar da utilização do website, designadamente por vírus causados pelo acesso a hiperligações disponibilizadas.
  • Os utilizadores declaram-se totalmente responsáveis por quaisquer danos que venham a provocar, quer ao CINTESIS, quer a terceiros, pelo não cumprimento dos termos e condições aqui descritos, bem como pelo não cumprimento das normas legais.
  • O CINTESIS pode suspender ou alterar os presentes termos e condições, sem aviso, a todo e qualquer momento.
  • As questões constantes dos termos e condições são reguladas pela legislação portuguesa em vigor.