Úlceras de Pé Diabético associadas a risco elevado de morte

//Úlceras de Pé Diabético associadas a risco elevado de morte

Úlceras de Pé Diabético associadas a risco elevado de morte

Os indivíduos com úlceras de Pé Diabético têm um risco elevado de morte a curto prazo. Um terço acaba mesmo por morrer no período de três anos após desenvolver esta complicação comum da diabetes.

Esta é a principal mensagem transmitida pelo artigo publicado no European Journal of Internal Medicine coordenado por Matilde Monteiro-Soares, investigadora do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), com a colaboração de membros do i3S.

O estudo teve como objetivo avaliar a taxa de mortalidade nas pessoas com úlceras de Pé Diabético e determinar os principais fatores de risco de morte. Foram envolvidos cerca de 300 doentes seguidos no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/ Espinho EPE, sendo a média de idades de 67,6 anos e o tempo de duração da doença em média de 18,1 anos. A esmagadora maioria tinha diabetes tipo 2.

Segundo Matilde Monteiro-Soares, cerca de 30% dos doentes com úlceras de Pé Diabético morreram ao fim de três anos. Mais de metade das mortes (52%) foram devidas a infeções, designadamente pneumonias (25%). Só depois surgiram as doenças cardiovasculares e as doenças malignas como causas das mortes (22% e 8%, respetivamente).

“Na diabetes, o risco de morte por infeções é bastante alto, com a pneumonia e a septicémia a assumirem-se como as principais ameaças.”, indica a autora.

Os resultados do estudo indicam ainda que a idade e a incapacidade física estão associadas a um maior risco de morte, o que vem na linha de outros estudos realizados. Este risco é independente do tipo ou da gravidade das úlceras.

Mais surpreendente foi a conclusão de que os participantes que já tinham tido úlcera de Pé Diabético tinham menor risco de morrer. Uma das hipóteses levantadas é que estes indivíduos com história prévia de complicações tenham mais cuidados médicos e sejam mais “resilientes”.

Como explica a especialista, as úlceras de Pé Diabético são das complicações da diabetes com maior impacto para os doentes e para os sistemas de saúde devido à sua elevada morbilidade, mortalidade e utilização de recursos.

Anteriormente, a equipa da investigadora do CINTESIS havia realizado outro estudo segundo o qual, ao fim de um ano, 7% dos indivíduos com diabetes tipo 2 desenvolveram úlcera de Pé Diabético. A maioria dos eventos ocorreu em pessoas seguidas em ambiente hospitalar, que eram também os que apresentavam maior duração da diabetes e mais complicações decorrentes da doença.

Por | 2020-05-19T11:26:51+00:00 Maio 19th, 2020|Categorias: Investigação|Tags: , , , , |Comentários fechados em Úlceras de Pé Diabético associadas a risco elevado de morte

Sobre o Autor:

Termos e Políticas de utilização

O website www.cintesis.eu é um website pertencente ao CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, tendo como objetivo a prossecução das atividades realizadas no âmbito desta Unidade de I&D da Universidade do Porto e sua divulgação para o público em geral. Por favor, leia atentamente os termos e condições de utilização antes de utilizar este website.
  • Os utilizadores declaram conhecer, compreender, aceitar e cumprir integralmente os termos e condições de utilização deste website.
  • Os utilizadores obrigam-se a respeitar os direitos de autor, direitos conexos e de propriedade intelectual do CINTESIS, dos seus promotores e colaboradores.
  • Os utilizadores obrigam-se à proibição de copiar, divulgar, transmitir, reproduzir ou difundir materiais publicados neste website, respeitando os direitos legais sobre os mesmos, exceto em caso de uso livre autorizado por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que a sua origem seja claramente identificada.
  • Os utilizadores comprometem-se a não veicular através deste website qualquer tipo de conteúdo ofensivo, difamatório, discriminatório, racista, obsceno ou violento.
  • O CINTESIS encontra-se ligado a websites externos sobre os quais não tem qualquer controlo e pelos quais não assume qualquer responsabilidade.
  • O CINTESIS não se responsabiliza por quaisquer anomalias ou danos que possam derivar da utilização do website, designadamente por vírus causados pelo acesso a hiperligações disponibilizadas.
  • Os utilizadores declaram-se totalmente responsáveis por quaisquer danos que venham a provocar, quer ao CINTESIS, quer a terceiros, pelo não cumprimento dos termos e condições aqui descritos, bem como pelo não cumprimento das normas legais.
  • O CINTESIS pode suspender ou alterar os presentes termos e condições, sem aviso, a todo e qualquer momento.
  • As questões constantes dos termos e condições são reguladas pela legislação portuguesa em vigor.